top of page

Custos de construção aumentam em dezembro – mas estão a desacelerar

Custos de construção de habitação nova aumentaram 1,8% em termos homólogos, menos 0,6 pontos percentuais que em novembro (2,4%).



Em dezembro de 2023, os custos de construção de habitação nova aumentaram 1,8% em termos homólogos, menos 0,6 pontos percentuais (p.p.) que no mês anterior (2,4%). Os preços dos materiais apresentaram uma variação de -2,2% (-1,7% no mês anterior) e o custo da mão de obra aumentou 7,5%, menos 0,7 p.p. que em novembro. Em causa estão dados provisórios divulgados esta sexta-feira (9 de fevereiro de 2024) pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

“O custo da mão de obra contribuiu com 3,1 p.p. (3,4 p.p. no mês anterior) para a formação da taxa de variação homóloga do Índice de Custos de Construção de Habitação Nova (ICCHN) e os materiais com -1,3 p.p. (-1,0 p.p. em novembro)”, conclui o instituto. 


Segundo o INE, entre os materiais que mais influenciaram negativamente a variação agregada do preço estão os de revestimentos, isolamentos e impermeabilização, que desceram cerca de 20%, o aço para betão e perfilados pesados e ligeiros e a chapa de aço macio e galvanizada, com uma redução de cerca de 15%, e o consumo de produtos energéticos, com uma diminuição de cerca de 10%. 

“Em sentido oposto, destacaram-se o betão pronto e artigos sanitários com crescimentos homólogos de cerca de 10% e o cimento, as tintas, primários, subcapas e vernizes com cerca de 5%”, indica o gabinete nacional de estatísticas. 

No que diz respeito à variação em cadeia, a taxa de variação mensal do ICCHN foi de -0,6% em dezembro, 1,7 p.p. inferior à de novembro, tendo o custo dos materiais descido 0,8% e o da mão de obra 0,4%.


Relativamente à variação média anual do ICCHN, foi 3,9% em 2023 (variação média de 12,2% no ano anterior). “Os índices de materiais e de mão de obra registaram aumentos médios anuais de 0,9% e 8,1%, respetivamente (16,7% e 6,3% em 2022, pela mesma ordem)”, conclui o INE.


Leia reportagem na integra aqui.


Fonte: Idealista

Comments


bottom of page