top of page

"Portugal não tem e nunca terá uma bolha imobiliária", garante Ramalho

Estabilidade do emprego, escassa oferta e procura de casas por estrangeiros justificam posição do ex-CEO do Novo Banco.


António Ramalho, antigo CEO do Novo BancoGetty images


Muito subiram os preços das casas nos últimos anos – é certo. Mas isto não quer dizer que Portugal tenha ou venha a ter uma bolha imobiliária, uma vez que continua a haver uma escassa oferta de habitação e um emprego resiliente. Quem o disse foi António Ramalho, antigo CEO do Novo Banco, no primeiro dia do Portugal Real Estate Summit, uma iniciativa que conta com o idealista como media partner.

Hoje, “o crescimento dos preços da habitação está a ser moderado, com efeitos de base adversos e condições financeiras mais rigorosas. A procura permanece resiliente, mas as transações estão a diminuir", afirmou António Ramalho. Mas", apesar do que muitos dizem, Portugal não tem uma bolha imobiliária e nunca irá assistir a uma”, sublinhou que o crescimento dos preços não esteve associado ao aumento do endividamento das famílias.


Apontou ainda vários motivos que sustentam a sua visão. Desde logo, o mercado de trabalho em Portugal está robusto. E a procura de casas continua a ser bem superior à oferta de habitação existente (ao contrário do que aconteceu na crise imobiliária de 2008, quando houve mais construção do que compradores). Além disso, foi a procura de casa vinda do estrangeiro e a alta atividade turística que alimentou o crescimento dos preços das casas nos últimos anos.

Também o ex-ministro da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, afastou a hipótese de que Portugal venha a ter uma bolha imobiliária. “O que António Ramalho demonstrou é que o mercado português está efetivamente muito maduro, onde grande parte dos portugueses são proprietários das casas onde residem, uma parte significativa desses quase dois milhões de famílias têm a casa quase paga”, afirmou citado pelo mesmo jornal.

"Ao contrário de outros destinos periféricos, Portugal continua a ser um mercado de baixo-risco devido à sua importância local. Não posso dizer que Portugal é o melhor mercado imobiliário a nível mundial, mas é um dos melhores", sublinhou o ex-CEO do Novo Banco no evento.


Leia a matéria na integra aqui!


Fonte: Idealista


コメント


bottom of page